Páginas

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Funcionário da 24ª Ciretran é preso com motocicleta roubada e placa adulterada - Em T. de Freitas.

Um servidor municipal, que atua na 24ª CIRETRAN, situada na Avenida Getúlio Vargas, foi preso por crime de receptação, e adulteração da placa de uma motocicleta Honda CG Titan, de cor preta, ano 2001. O acusado estava usando o veículo roubado, que ostentava a placa de outra moto, a qual se encontra presa no pátio da CIRETRAN. 


O funcionário publico municipal, que está atuando há pouco mais de 60 dias no órgão de trânsito, foi identificado como Rodrigo Oliveira Alves, 23 anos de idade, estudante do 8º período de Direito. Rodrigo chamou atenção de alguns colegas de trabalho, em decorrência de algumas atitudes. 

E os colegas identificaram que a moto, que ele estaria usando, estava com a placa adulterada, sendo identificado ainda que, a placa utilizada era de uma moto que estava presa no pátio da CIRETRAN, inclusive confirmada na lista dos veículos que iram para o próximo leilão.

Os colegas, de posse das informações, levaram ao conhecimento da coordenadora Tatiane Ruas, que de imediato solicitou que o veiculo fosse retido e informou a 8ª COORPIN sobre tal fato, no qual foi designada uma equipe, que se dirigiu ao órgão e realizou a condução do acusado e do veiculo até a delegacia de polícia, onde foi flagranteado pela delegada plantonista, Maria Luíza, nos artigos 180 e 311 do Código Penal. 

Os agentes fizeram o levantamento da situação, e confirmaram que se tratava de uma moto oriunda de furto, com adulteração da placa policial, e da numeração do chassi do veículo. Foram ouvidos dois mecânicos e um proprietário de uma empresa, que presta serviços de confecção de placas, o qual declarou que o Rodrigo esteve em seu estabelecimento, solicitando ao mesmo que, se possível, lhe doasse a confecção de uma placa para a sua moto, pois teria quebrado a antiga.

O proprietário, conhecendo e sabendo que se tratava de um servidor do órgão, e que seria um pedido particular para o mesmo, confeccionou e doou a placa, conforme o seu pedido. Os depoentes, após as suas oitivas, foram liberados pela delegada, pois não foi constatado nenhum vínculo entre eles e o acusado sobre a situação irregular do veículo. 

A delegada, após ouvir Rodrigo, determinou que o mesmo fosse recolhido para a carceragem, colocando-o à disposição da justiça, pois, nos artigos que o mesmo foi indiciado não cabe fiança no âmbito das jurisdições da competência da polícia judiciária. Nossa equipe entrou em contato com o advogado de defesa do Rodrigo, e ele disse que ainda não iria se manifestar. Fotos/Fonte:Liberdade News.


Nenhum comentário:

Postar um comentário