Páginas

sexta-feira, 30 de junho de 2017

GREVE GERAL: Lideranças sindicais sugerem uso de roupa preta durante manifestação.

Movimentos sindicais unificados promovem nesta sexta-feira, 30, Greve Geral em 20 Estados do Brasil, dando sequência à luta contra as reformas trabalhistas e da Previdência impostas pelo governo federal, que ameaçam o fim de garantias conquistadas na história da classe trabalhadora. Em Jequié várias entidades estão sendo mobilizadas para se reunirem a partir das 8h, com vista a realização de um ato público no centro da cidade. 

Os bancários vão aderir à paralisação e agências bancárias devem estar fechadas em todo o Estado. O Sindicato dos Vigilantes anunciou em Salvador que fará uma ação mobilizando os trabalhadores a deixarem os seus postos de serviço, inclusive atrasando a abertura de agências do INSS. 

Também em Salvador, os rodoviários afirmaram que não vão paralisar as atividades e que os ônibus vão circular no horário normal. Na greve anterior foi realizado piquete em frente a garagem da Expresso Rio de Contas e os ônibus não foram às ruas no período da manhã, em Jequié. Os servidores do serviço público de saúde prometem paralisar o atendimento ambulatorial, suspendendo a realização de consultas e exames. 

Já os pacientes internados continuarão recebendo atendimento, mas em escala reduzida, já que os profissionais vão trabalhar em regime de feriado. O Sindicato dos Servidores Municipais de Jequié-Sinserv, confirma adesão ao movimento grevista. A APLB-Sindicato, tem agendada uma assembleia geral dos trabalhadores e Trabalhadoras em Educação da Rede Municipal de Jequié, a partir das 9h, no auditório da Terceira Visão.
Os professores de escolas do Ensino Básico também vão aderir ao movimento, mas a paralisação não terá impacto porque as unidades de ensino estão em período de férias escolares. Na Uesb, também haverá adesão à greve por parte de professores e funcionários do setor técnico administrativo. 

De acordo com informação de líderes do movimento, deverão atender ao movimento em nível nacional e estadual, ferroviários; petroleiros; químicos; servidores públicos federais, estaduais e municipais; previdenciários; correios; vigilantes; bancários; metalúrgicos; comerciários; professores; Sintel; Sindiferro; Sindicato dos profissionais em pesquisa; Sindiborracha; Sindicatos da agricultura familiar; Sintercob; e Sindalimentação. G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário