Páginas

sábado, 15 de julho de 2017

PF informa que não tem como monitorar Geddel Vieira.

Nesta sexta-feira (14), por meio de nota, a Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado da Bahia informa que a Polícia Federal não dispõe de sistema de monitoramento eletrônico de pessoas, a tornozeleira eletrônica.

Ainda segundo a PF, “tal função não é afeta à atividade de polícia judiciária desempenhada pela Polícia Federal, e sim ao sistema prisional, seja ele o federal ou o estadual”.

Por fim, argumenta ainda que essa impossibilidade de cumprimento da decisão proferida para monitoramento eletrônico do ex-ministro e presidente do PMDB na Bahia, Geddel Quadros Vieira Lima, foi informada à 10ª Vara Federal do Distrito Federal. 

O ex-ministro foi colocado em prisão domiciliar por ordem do desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. O peemedebista havia sido preso em 3 de julho por ordem do juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal, de Brasília, sob acusação de pressionar a mulher do doleiro Lucio Funaro - preso na Operação Sépsis, há um ano - a não fazer delação premiada.

Em depoimento, Raquel Pitta, mulher do corretor Lúcio Bolonha Funaro, confirmou à PF ter recebido ligações telefônicas de Geddel nas quais teria sido "pressionada". A suposta pressão exercida pelo peemedebista teria como objetivo evitar que o marido de Raquel fizesse um acordo de delação premiada e foi o principal argumento usado pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira para autorizar a prisão do peemedebista.Bocão News.


Nenhum comentário:

Postar um comentário