Páginas

terça-feira, 11 de julho de 2017

STJD interdita São Januário após morte de torcedor do Vasco.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu nesta segunda-feira pela interdição do estádio São Januário após brigas com torcedores no local durante o clássico entre Vasco e Flamengo no último final de semana. Com as denúncias, o clube pode perder até 25 mandos de campo.
A denúncia foi preparada pela procuradora Danielle Maiolini, de Minas Gerais, que estava de plantão durante a rodada do Campeonato Brasileiro e posteriormente foi encaminhada ao procurador-geral do órgão, Felipe Bevilacqua. Além do pedido de fechamento do estádio até que seja revisto o plano de segurança local, o Vasco será enquadrado nos artigos 211 e 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

“Para a Procuradoria o Vasco da Gama é responsável, objetivamente, pelos atos praticados pela sua torcida conforme previsto no artigo 63 do Regulamento Geral das Competições e no Código da FIFA. No entendimento da Procuradoria, o clube foi permissivo ou tomou medidas insuficientes efetivas na fiscalização e na repressão do grupo de torcedores infratores e, com isso, assumiu o risco que os mesmos praticassem atos pelo qual o Vasco é objetivamente responsável na forma do artigo 213 e seus incisos I, II e III, parágrafo 1º do CBJD pelas cenas de desordens de elevada gravidade, arremesso de objetos e bombas e pela tentativa de invasão de campo. O clube pode ser multado entre R$ 100 e R$ 100 mil e punido com a perda de até 10 mandos de campo, por cada ato”, diz um trecho do comunicado do STJD.
O pedido da procuradoria foi deferido nesta segunda (10/7) pelo vice-presidente do órgão Paulo César Salomão Filho. “Em despacho deferido nesta segunda, o Presidente em exercício Paulo César Salomão Filho deferiu a liminar para interdição do estádio São Januário e destacou grave falha na segurança e, principalmente, na prevenção da entrada de artefatos explosivos, colocando em risco a integridade física dos profissionais que atuavam na partida e dos torcedores presentes.
O Vice-Presidente destacou ainda uma falha gritante na infraestrutura do estádio devido ausência de barreira para obstruir a passagem de torcedores ao local destinado aos profissionais de imprensa que impeça o contato entre os mesmos e as cabines de rádio e televisão”, fala STJD.
Com a punição, e a dificuldade para reverter a decisão, o mais provável é que o Vasco jogue contra o Santos, no próximo domingo, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.
A briga envolvendo torcedores começou dentro do estádio São Januário com o arremesso de objetos e bombas no gramado impedindo que jogadores e a arbitragem conseguissem voltar aos vestiários. A confusão também foi parar nos camarotes e fora do local de jogos.
Em confronto nos arredores do estádio, um torcedor vascaíno de 27 anos foi atingido por um tiro no peito e morreu. Outras três pessoas foram baleadas. A CBF havia emitido ainda nesta segunda um parecer sobre o caso proibindo a presença de torcedores no local até que a decisão da Justiça saia oficialmente.
“Considerando os distúrbios graves ocorridos no Estádio de São Januário, durante a partida Vasco x Flamengo, neste sábado (8/7), pela 12ª rodada do Brasileirão 2017, a CBF tomou a medida de impedir a realização de jogos com presença de torcida no local citado. A decisão tem validade imediata e aguarda a decisão da Justiça Desportiva para novos desdobramentos”, explicou a entidade.
No comunicado, a CBF ressalta a “segurança do torcedor é prioridade da entidade” e que a decisão deve ser cumprida até que a Justiça Desportiva tenha uma decisão sobre os fatos ocorridos no último sábado (08). De acordo com a assessoria da presidência do Vasco, o clube, até o momento, não irá se posicionar publicamente sobre a medida. Aratu Online.


Nenhum comentário:

Postar um comentário