Páginas

sábado, 12 de maio de 2018

Ministro Gilmar Mendes manda soltar Paulo Preto, apontado como operador do PSDB.


O ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, deu liberdade a Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, apontado pela Operação Lava Jato como operador de propinas para o PSDB. A informação é do jornal Folha de S. Paulo. 

Ex-diretor da Dersa, Paulo Preto foi preso pela Polícia Federal no começo de abril, por suspeita de coagir uma mulher acusada no processo que investiga desvio de recursos de R$ 7,7 milhões da empresa entre 2009 e 2011 (governos José Serra e Geraldo Alckmin). 

O montante era destinado ao realojamento de famílias desalojadas pela Dersa para a construção do Rodoanel, obra realizada na gestão do tucano José Serra (2007-2010). O Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo pediu a prisão preventiva de Souza e outros quatro suspeitos por formação de quadrilha, peculato e inserção de dados falsos em sistema público de informação. 

O ex-diretor da Dersa foi citado por sete delatores das empresas Odebrecht, Andrade Gutierrez e pelo operador Adir Assad, que o apontaram como operador de José Serra (PSDB-SP) em desvio de recursos da obra viária.  Ele apareceu em depoimentos de outros três executivos da OAS e da Queiroz Galvão que negociam acordo com procuradores. Foto:Antonio Cruz

Nenhum comentário:

Postar um comentário