Páginas

terça-feira, 24 de setembro de 2013

CNJ afasta presidente do Tribunal Regional de Roraima.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) afastou o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR), Gursen de Miranda, de suas funções. O colegiado abriu um processo disciplinar contra o gestor, que é acusado de ter agido de forma incompatível com a Lei Orgânica de Magistratura (Loman) em pelo menos seis situações. 

Entre as irregularidades que teriam sido cometidas por Miranda estão a realização de representação eleitoral em dia que o quórum do TRE estava incompleto, compra de bens incompatíveis com os rendimentos de magistrado, nomeação de duas filhas para assumir cargos comissionados no Executivo, a ocupação de cargo político, além de submeter alunos da Universidade Federal de Roraima a constrangimento. 

Em setembro, quando a investigação foi proposta pelo CNJ, Miranda alegou que estaria protegido pela imunidade funcional, já que as ações cometidas foram eminentemente jurisdicionais. Além disso, citou que suas filhas contam com bons currículos e foram nomeadas por méritos próprios.Foto Divulgação TRE/RR, Informações da Folha

Nenhum comentário:

Postar um comentário