Páginas

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Cantor Netinho deixa hospital e em desabafo homenageia médico que lhe 'salvou a vida'.

Netinho deixou o hospital Sírio Libanês na noite desta quarta-feira (23). O cantor havia anunciado há 4 dias que teria alta para passar o Natal e Ano Novo ao lado da família. Ele estava internado desde o dia 30 de novembro para investigar um quadro de tonturas. Para tranquilizar os fãs, o próprio Netinho tem atualizado sua página do Facebook com fotos e notícias sobre sua internação.
Antes de deixar o hospital, Netinho visitou a irmã do ex-presidente Lula, que também está internada. Em seu Facebook, o cantor diz ter conhecido Maria em 2014 quando também passou um período no Sírio Libanês. Ele lamentou que Maria terá de passar o Natal no hospital. O cantor baiano também visitou uma fã que conheceu no hospital e a presenteou com um CD autografado.
Netinho visita a irmã do ex-presidente Lula / Reprodução Facebook

Ainda no seu perfil do Facebook, Netinho prestou uma homenagem ao médico Roberto Kalil: “esse cara me salvou a vida”. Fez, também, um desabafo, mandando um recado para aqueles que criticam a sua falta de religiosidade e lembrou do momento em que foi considerado morto pela equipe médica que cuidava do seu caso, em 2013, no Hospital Aliança, em Salvador. Confira na íntegra:
“Antes que alguém escreva erroneamente aqui comentários como “você não acredita em Deus”, “você devia cantar pra Deus”, “você deve agradecer a Deus”, “foi Deus quem salvou a sua vida”, “você deve procurar a igreja tal”, etc… , quero dizer mais uma vez que não tenho/nunca tive religião nem frequento templos ou igrejas. Porém, ACREDITO EM DEUS que chamo de CRIADOR.
Se estou VIVO nesse momento é porque Ele permitiu. Sou agradecido por minha maravilhosa vida e por tudo que sou. Por minha família e amigos sinceros. Por minha história que me orgulha e que continuo escrevendo. Por cada fã sincero e amoroso que tenho. Sempre estive com o Criador pois Ele está em mim, aqui dentro, no meu coração e nas minhas atitudes. Nunca precisei de intermadiários para conversar com Ele.
Quem acha que eu não canto pra Ele, basta ouvir a minha voz. Pois bem, explicada esta questão, sigo: vim aqui agora para prestar uma homenagem ao cara que salvou a minha vida em 2013. Naquela época, quando eu fui considerado morto pelo Hospital Aliança de Salvador/BA, a minha família resolveu me transferir para um hospital em São Paulo.
Naquele instante eu estava entubado, desacordado, quase lá. Minha família me transferiu à força pois o Hospital Aliança não queria que eu saísse de lá mesmo tendo comunicado a minha mãe e irmãs que eu estava morrendo. As duas médicas Dra. Marcia Sundin e Dra. Filomena, que vieram de São Paulo me buscar numa UTI aérea foram maltratadas pelo hospital e nem meu prontuário elas puderam ver. Foi um sufoco. Saí do hospital Aliança à força e aos gritos dos médicos que anunciavam “ele vai morrer no ar, ele vai morrer no ar!”.
Conto tudo isso, toda a verdade com detalhes no meu livro que lançarei em breve. Cheguei vivo, mas à beira da morte em São Paulo e fui recebido por Dr. Roberto Kalil e toda a sua equipe no Hospital Sírio Libanês. Esse cara me salvou a vida. Num dia em 2013 quando precisei operar o meu cérebro e a minha filha Bruna chorava muito no hospital, Kalil foi até ela e disse “Bruna, não se preocupe, eu vou trazer o seu pai vivo!”. E assim ele fez. Kalil é diretor do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio Libanês e diretor geral do INCOR, também de São Paulo.
Por trás da sua austeridade e seriedade no trabalho, e por trás da sua dedicação à medicina que toma praticamente todo o seu tempo de vida, eu descobri um cara bem humorado, brincalhão, boa gente. Ontem, antes de eu deixar o Sírio Libanês, soube que ele foi vestido de Papai Noel entregar brinquedos às crianças pacientes do INCOR, de quarto em quarto. Fico feliz em expôr aqui este gesto particular de Kalil nesta época de Natal quando a reflexão nos é estimulada.
Kalil, sou seu amigo e fã e não me canso de te dizer MUITO OBRIGADO. Esta é a minha homenagem a esse cara e também a minha mensagem de Natal para todos. Que esta atmosfera de Natal e Ano Novo nos faça refletir e entender que antes julgar e falar mal de alguém, devemos primeiro procurar saber quem é esse alguém e respeitá-lo pois apenas CADA UM sabe das suas alegrias e dores.
Não existe limite para sermos piores, assim como não existe limite para sermos melhores. Sigamos então com positividade e evoluindo sempre em direção do MELHOR. Juntem-se às pessoas positivas e do bem.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário