Páginas

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Netinho desabafa contra o Hospital Aliança:"diziam que eu ia morrer no voo".

O cantor Netinho usou as redes sociais para desabafar contra o Hospital Aliança, em Salvador. De acordo com o cantor, a unidade dizia aos familiares que ele estava morrendo, mas não o liberava para tratamento em São Paulo. A história, segundo ele, será melhor contada em um livro que ele pretende lançar em breve. “Naquela época, quando eu fui considerado morto pelo Hospital Aliança de Salvador/BA, a minha família resolveu me transferir para um hospital em São Paulo.

Naquele instante eu estava entubado, desacordado, quase lá. Minha família me transferiu à força pois o Hospital Aliança não queria que eu saísse de lá mesmo tendo comunicado a minha mãe e irmãs que eu estava morrendo. As duas médicas Dra. Marcia Sundin e Dra. Filomena, que vieram de São Paulo me buscar numa UTI aérea foram maltratadas pelo hospital e nem meu prontuário médico elas puderam ver.
Foi um sufoco. Saí do hospital Aliança à força e aos gritos dos médicos que anunciavam ‘ele vai morrer no ar, ele vai morrer no ar!’”, relatou. Ainda de acordo com Netinho, sua vida se deve a Deus e a equipe do Dr. Roberto Kalil e do Hospital Sírio Libanês. “Num dia em 2013 quando precisei operar o meu cérebro e a minha filha Bruna chorava muito no hospital, Kalil foi até ela e disse: “Bruna, não se preocupe, eu vou trazer o seu pai vivo!”. E assim ele fez. 
Kalil é diretor do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio Libanês e diretor geral do INCOR, também de São Paulo. Por trás da sua austeridade e seriedade no trabalho, e por trás da sua dedicação à medicina que toma praticamente todo o seu tempo de vida, eu descobri um cara bem-humorado, brincalhão, boa gente”, classificou.Fonte:BN


Nenhum comentário:

Postar um comentário