Páginas

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Com dores, grávidas esperam atendimento no chão e do lado de fora de maternidade - Em Salvador.

As reclamações envolvendo maternidades públicas em Salvador não são novidade. Cerca de 50 gestantes esperam do lado de fora do maternidade Albert Sabin, em Cajazeiras, sem nenhuma perspectiva de quando serão atendidas.
A denúncia foi feita ao Aratu Online na noite desta segunda-feira (30/1) pela auxiliar de cozinha Joelma Brandão, que desde cedo acompanha a prima que está grávida. “Nós chegamos aqui de manhã e não conseguimos atendimento até agora. A maternidade diz que é porque teve uma troca de plantão e temos que aguardar, mas que troca demorada é essa que até agora não apareceu ninguém?”, diz.
Ainda segundo a denúncia, as mulheres estão sentindo dor sentadas na rua, do lado de fora da maternidade. “Tem uma gestante aqui de 41 semanas que ta gemendo de dor, coitada. Tem outras que estão com o bebê morto dentro da barriga que passagem pela triagem pela manhã e até agora não foram atendidas por um profissional”, afirma Joelma.
“Minha prima está com a pressão alta e sentindo dor. O que me incomoda é que ninguém dá nenhuma informação”, diz.
Uma senhora chegou a iniciar uma manifestação contra a situação, mas logo foi contida.”O hospital chamou logo a polícia, que chegou no local e conversou com a senhora. O policial disse que infelizmente não poderia intervir nesse caso, mas que era pra senhora não causar tumulto no local”, explicou Joelma.O Aratu Online tentou contato com a assessoria de imprensa da maternidade, mas não obteve sucesso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário