Páginas

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Prefeito contraria MP e mantém carnaval em Itabuna;"MP não pode mandar na prefeitura".

O prefeito de Itabuna, Fernando Gomes (DEM), parece não ter assimilado muito bem a recomendação do Ministério Público Estadual (MP-BA), para que a Prefeitura  não realize o Carnaval antecipado nos dias 10,11 e 12 de fevereiro, apontando entre as justificativas a crise hídrica e a situação financeira delicada do município. 

Durante o lançamento da programação na sexta-feira (27), Gomes  rechaçou a recomendação do MP, “Não posso mandar no MP, assim como o MP não pode mandar na prefeitura. Eu sou um prefeito eleito pelo povo, está na Constituição. Sou homem de sentar na mesa e dialogar, mas não sou homem pra aceitar ordem de ninguém. A que eu aceito é daqueles que me elegeram”, disse na ocasião”. 

De acordo com o órgão, a situação atual do município é incompatível com todo e qualquer gasto público com festa de Carnaval ou qualquer outra. O MP-BA alega ainda que a realização do Carnaval provocará um aumento da população em Itabuna e, consequentemente, causará um colapso nas reservas de abastecimento. A cidade vive um grave problema de falta de água, tendo adotado o racionamento desde o ano passado. Outro ponto abordado pelo MP-BA foi a população carcerária de Itabuna. 

Segundo os promotores que assinaram a recomendação, nesses festejos é natural que se registrem inúmeras prisões em flagrante e o Conjunto Penal da cidade está superpopuloso. Conforme inspeção realizada no dia 27 de janeiro, o estabelecimento prisional que comporta apenas 870 vagas está com 1.312  detentos. 

Fernando Gomes disse que o Carnaval de Itabuna esse ano não será oneroso, pois não contará com grandes atrações. “Em 2018, eu espero que o país se levante e teremos sim um grande Carnaval em Itabuna, não só com as bandas regionais como também com as bandas de Salvador. Isso eu prometo para o ano de 2018”, disse o prefeito grapiúna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário